Dia dos Namorados | E do amor íntimo

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 0 Flares ×

Dias atrás refletindo sobre que escrever para o dia dos namorados pensei: depois de treze ocasiões da mesma data juntos, o que dizer que já não tenha sido dito em tanto tempo?

Comecei, como de costume, por pensar em assuntos relacionados que já teria usado. Metáforas, citações, alusões. Depois, após buscar por situações de nosso convívio – fonte de pauta diária – busquei definições conceituais sobre dois termos.

“Namorar”, segundo o dicionário dicio.com.br é:

  • Procurar inspirar amor a; requestar, cortejar; fazer a corte a; arrastar a asa para.
  • Cobiçar, desejar vivamente possuir.
  • Andar em galanteios.

Já “Íntimo” para o Priberam significa:

  • Que está muito dentro; muito interno.
  • Que existe no ânimo ou no coração.
  • Tranquilo ou aconchegante.
  • Que está muito próximo de ou tem relações estreitas com.

Foi aí que uma ficha caiu. Ai de mim de querer definir o que é “namorar”, já que existem tantas formas diferentes de amor, mas se essas são conceituações válidas então é hoje, 13 anos após nosso primeiro sim, e a primeira vez que passamos pela data sendo na verdade “casados”, em que nos sentimos mais namorados.

Parece paradoxal, eu sei. Mas faz sentido, porque casados desfrutamos de um novo tipo de namoro. O namoro íntimo. Esse ilustre desconhecido que tem muita coisa a nos mostrar todos os dias.

Tem manhãs de abraços na cama, tem cafés na padaria aos sábados, tem caminhadas de mãos dadas à feira, tem deliciosos almoços com o que sobrou na geladeira, tem tardes vazias de tarefas e repletas de carinho, tem quilos de pipoca nos cinemas de casa, tem edredom com Nat Geo, Home Health ou ESPN, tem jantares especiais (e também aqueles com mais vinho e menos vergonha), tem parceria na tarefa diária, tem a nossa casa aberta aos nossos amigos. Tem a nossa cara em cada canto da nossa casa, tem cumplicidade, tem vida e tem novas histórias.

Não faltou amor nesses anos. Tampouco sedução ou galanteio. Mas hoje o amor tem um sabor diferente, salpicado por novas emoções que mesmo após uma década de relacionamento, deixa um gosto diferente na boca, e um sorriso sereno no rosto.

P.S.: Um dia desses voltando no carro perguntei à Lu se ela se sentia íntima a mim. E ela, cerrando os olhinhos e afrouxando o sorriso disse, afundando em meu ombro: sim. E eu, naquele momento, soube que nosso amor mudou. E é o amor que celebramos nesse novo 12/06. Um amor íntimo, como todo amor nasceu pra ser.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 0 Flares ×

Estilo a dois

One Comment

  1. E eu me sinto a mulher mais amada, feliz e realizada todos os dias!
    Tenho certeza que casar foi a decisão mais acertada para sermos cada dia mais enamorados. Amo muito você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *