RELACIONAMENTO | Futebol também é programa de casal

bola

Aristóteles, baluarte do conhecimento filosófico e letrado que era em assuntos do coração já dizia: “case com uma mulher que reconheça um impedimento no jogo de futebol”. Invejosos dirão que é mentira, mas certo é que aquele negócio de mulher e futebol não combinar já deixou de ser verdade há muito tempo. Cada vez mais elas fazem parte do universo que é paixão nacional, seja assistindo aos jogos, comprando uniformes e (sim) indo ao estádio torcer pelo seu time.

Preferências clubísticas à parte (que o autor aqui não faz a menor questão em esconder) o foco do post é chamar a atenção para uma realidade que só tende a aumentar: ir ao campo também pode ser um programa de casal. Tá certo que assistir futebol para o homem representa mais do que um mero evento de fim de semana. É um ritual. Não se trata simplesmente de sair de casa às 15 para chegar ao estádio 15h30, assistir ao jogo que começa 16 e voltar às 18. Há toda uma preparação que envolve um planejamento minucioso e começa bem cedo, antes do horário do almoço. E em muitos casos, vale mais a resenha do pré-jogo, regado a cerveja e churrasco do que propriamente assistir a peleja.

bola1

Mas se engana quem pensa que esse é um lugar de confrarias masculinas onde a mulher não pode entrar. Pelo contrário. Inserir a amada nesse contexto é uma excelente forma de unir lado a lado duas paixões que não precisam viver separadas. Além disso, reforçará ainda mais a afinidade entre os dois, que terão bons momentos para dividir, vibrando e chorando juntos, com cada um tendo no outro seu grande parceiro. Digo isso por experiência própria. Eu, como frequentador assíduo de estádio, sempre tento levar a Lu. Nem sempre é fácil (o ingresso não é barato e às vezes fica difícil explicar a ela a importância de um Galo x Joinvile), mas sempre quando ela anima é uma delícia. Um domingo diferente, no qual não é necessário escolhermos entre duas opções. Ambas se completam e deixam tudo muito mais divertido. Além do mais, caro Aristóteles, ela ainda sabe o que é um impedimento e é pé quente. É ou não é pra casar?

bola2

No nosso caso deu certo. As duas famílias carregam no coração a bandeira do mesmo clube. Mas nem tudo são flores. Casais de torcedores de times rivais devem viver uma situação mais delicada. Em todo o caso, como diz o poeta, “o futebol é a coisa mais importante dentre as coisas menos importantes”, logo, certamente isso não deverá ser motivo de briga e a rivalidade pode até aquecer ainda mais o relacionamento. Quem sabe? Afinal, Vander Lee já cantava:

Ela finge que não, mas no seu coração

ainda sou artilheiro.

Só faz isso porque, meu irmão,

eu sou Galo e ela é Cruzeiro.

 

Feliz dia do eu amo você

namorados

Feliz dia daquele momento perfeito.

Do me conta como foi o seu dia.

Do me espera pra ir à academia.

Do você linda de qualquer jeito!

 

Feliz dia do bar melhor que a boate.

Do coloca um filme pra gente.

Do me espera pra escovar o dente.

Do quem é aquela biscate?

 

Feliz dia do traz a toalha, por favor.

Da noite dormida em conchinha.

Das meias que pensei serem minhas.

Dos abraços cheios de amor.

 

Feliz dia do hoje eu vou cuidar de você.

Do estou com tanta saudade.

Do você não sabe a vontade.

E de tudo que eu quero fazer.

 

Feliz dia do brigadeiro com cobertor.

Da noite com vinho e fondue.

Das receitas sem queijo Brie.

Da companhia que vale mais que o sabor.

 

Feliz dia do amor fruto do improviso.

Do café servido na cama.

Do acordar todo cheio de manha.

Que me envolve com um largo sorriso.

 

Feliz dia do te pego pra ir ao cinema.

Do hoje você quem dirige.

Da espera dominical que aflige.

Da música que virou nosso tema.

 

Feliz dia do eu te amo demais.

Do meu anjo, meu dengo, minha lua.

Do meu beijo na esquina ou na rua.

Do namoro que não acaba jamais.

 

Feliz dia da soma de todo clichê.

Do presente sem hora marcada.

Do encontro de almas seladas.

Por mais um eu amo você!

RELACIONAMENTO | Dicas para comemorar o Dia dos Namorados

brigadeira4

Uma coisa é verdade: das incontáveis delícias dos dias dos namorados, as melhores delas não podem ser compradas em shoppings como a publicidade insiste em nos mostrar durante esse período do ano. Se o que vale no aguardado 12 de junho é a presença do (a) amado (a), então existem várias outras formas de aproveitar bem o momento, curtindo o clima de romance e sem precisar gastar horrores. Aliás, nós mesmos somos adeptos dessa prática. Na maioria das vezes optamos por um programa (passeio ou viagem) a dois, no lugar de um presente caro. Coisas simples, mas que no final terá muito mais valor. Olha só.

 

PIQUENIQUE NO PARQUE

13_n

Já fizemos várias vezes e adoramos! Esse final de semana, por exemplo, descobrimos um ótimo lugar em BH, super arborizado e com a grama fofinha e aparada para um belo piquenique, o Parque Ecológico da Pampulha! Fomos para passear, mas da próxima vez que voltarmos será com nossa cestinha de quitutes! O melhor é que não precisa de muita coisa, basta uma toalha ou lençol grande para forrar, algumas guloseimas favoritas e não se esqueça de guardanapos, talheres (pode ser de plástico) e copos. Geralmente esses parques ficam cheios de famílias e casais, o que deixa o clima ainda mais gostoso. É ou não é uma ótima forma de celebrar o amor?

 

JANTAR ROMÂNTICO EM CASA

diadosnamorados
Se os dois gostam de cozinhar, acredito que a melhor maneira de preparar um jantar especial seja os dois preparando juntos o cardápio escolhido. Mas se ele ou ela não é muito de cozinhar, coloque as mãos na massa você mesmo e prepare um delicioso jantar com entradinhas, prato principal e uma sobremesa. Acrescente velas, guardanapos de pano, taças e uma boa música que o romance já estará no ar! No nosso caso dividimos quase sempre entre eu cozinhando e o Patrick cuidando da louça. Funciona e nossas noite japas são sempre um grande sucesso.

 

CINEMINHA À DOIS

diadosnamorados4
Outra alternativa mega viável e democrática, o cinema quase sempre agrada a todos. No nosso caso, uma noite feliz é uma noite com os olhos grudados na telona, um balde de pipoca de um lado e o milk shake do outro. E em casa, vale? Mas é claro, na intimidade do seu cafofo é ainda mais gostoso! Vai me dizer que não é um programa agradável para fazer a dois?!

 

UMA MINI-VIAGEM

10984675_781844171865529_436202872_n

Esse dia dos namorados cairá numa sexta feira. Tem dia melhor pra pegar a estrada rumo a uma cidadezinha gostosa com seu Love? Se você pode pagar uma diária em uma pousadinha aconchegante perto de onde você mora, ótimo! Mas se não, não precisa deixar de fazer essa aventura. Vá cedinho no sábado com seu amor e volte ao final do dia. Próximo a BH existem várias cidades lindas e históricas como Ouro Preto, Tiradentes, Lavras, Macacos… Roteiro é o que não falta.

Intimidade no relacionamento: 8 vantagens que só quem namora pode vivenciar

casal-feliz

Há quem diga que intimidade é uma faca de dois legumes. Também pudera. Com ela você descobre o bom e o mal de cada um e às vezes o real não era bem aquilo que você estava esperando. Em todo o caso, por mais que existam relacionamentos de décadas em que o parceiro ainda seja um estranho, eu só acredito em uma relação de verdade, com carinho e amor recíprocos onde há plena intimidade entre o casal. Aquela conexão máxima que lhe permite explorar tudo que a pessoa tem a lhe oferecer, sem máscaras e sem fingimentos. Por isso, listamos 8 situações em que você percebe grandes indícios de intimidade e que, quando bem exploradas, provará a delícia de ser íntimo de alguém.

 

1 – Saber o que a pessoa vai falar antes que ela fale
Por mais estranho que pareça, isso acontece várias vezes. Só pela mudança da respiração, expressão, entonação  ou pelo rumo da prosa já adivinhamos o assunto do outro. E às vezes nem precisa de palavras, basta um olhar maroto.

tumblr_lmysusWkul1qje2r2o1_500

 

2 – Falta de assunto nunca será um momento constrangedor
É claro que você já viveu isso. Você está num bate papo com um conhecido que você encontrou no metrô e o assunto em que estavam subitamente acaba. Você imediatamente começa a recorrer mentalmente à todos os temas possíveis (futebol, tempo, política, a conhecida que engravidou) na esperança de preencher aquele vazio ensurdecedor. Entre íntimos isso não acontece. Quando um assunto acaba (raro, mas pode acontecer) você simplesmente começa outro – ou não. Sem trauma.

tumblr_n01i3avIpo1ru72puo1_r2_400

 

3 – Falta de dinheiro pra sair também não.
Se uma peguete te chama pra sair você dificilmente responderá: não rola, estou liso. Espere o quinto dia útil. Com um (a) parceiro (a) com intimidade, você não só responderá a verdade, como há grandes chances dela se oferecer para pagar pra você, ou de pensarem juntos em um programa baratinho.

garotinho-comemorando-dinheiro-dollar-rasga-humortalouco1

 

4 – Ir ao banheiro será como ir à cozinha beber água
Não acho que soltar pum na frente da namorada seja prova de intimidade. Porque convenhamos, você não precisa disso pra provar parceria e união. Mas ir ao banheiro é uma necessidade fisiológica a qual todos nós humanos estamos dispostos. Depois de íntimos você verá como não será necessário simular um banho demorado na hora que bater aquela dor de barriga nas viagens em casal.

 

giphy (2)

 

5 – Trocar a balada por uma série debaixo do cobertor não será caretisse
Sextas e sábados não serão sinônimos de bares e boates. Pelo contrário, a intimidade lhe conferirá plena liberdade de propor ao Love a troca da balada por uma sexta assistindo Discovery debaixo das cobertas.

 

tumblr_m68jueUWuH1ro2d43

6 – O blush, rímel e calça dão lugar ao moletom e a pantufa – e ele não a achará feia por isso
Todo mundo que namora sabe disso. No início você vai à casa da namorada e ela está te esperando toda produzida, maquiada e (pasmem) de calça jeans dentro de casa (coisa que a gente só vê em filme americano). Com o tempo, a calça jeans sede lugar ao moletom e o tênis ou rasteirinha ao chinelo ou pantufa. E essa liberdade une ainda mais o casal, porque ambos sabem que o romance já rompeu a barreira do puramente estético há tempos.

tumblr_n396ixwpID1slpi32o1_500

 

7 – Saber a posição ideal para o melhor cafuné
Item fundamental e que eu duvido que casais recentes saibam: achar a posição perfeita para o cafuné. Na hora de se sentar no sofá, na cama ou no cinema, cada casal tem sua técnica de “escoramento” e só os parceiros mais íntimos conhecem de cara aquela posição ideal para um cafuné bem aconchegante.

kkk (178)

 

8 – Comer o que quiser sem medo de julgamentos
Sabe aquele pedação de lasanha que você acabou de comer na frente de todo mundo e que de tão bom está pedindo bis, porém você precisa manter a linha e se controlar? Com a intimidade seus problemas acabaram. Comer o que e quanto quiser na frente do namorado ou da namorada não é um problema. Isso não quer dizer que precise extrapolar, mas só de se ter essa liberdade já é o máximo, não é?tumblr_inline_n9g02wCfTj1ro2d43

Aniversário de namoro | Ele, Ela e o mundo

Se ele tivesse escolhido, o namoro talvez não teria sido sua primeira opção. Mas quem disse que a gente escolhe esse tipo de coisa? Ainda mais com ela, uma leonina de raça pura com toda a realeza que seu horóscopo desconfia e que sua autoestima tem certeza. Se era um jogo de dois, o dono do apito não seria ele. Partiria dela. Se, e somente se, ela quisesse, começaria. Para o bem dessa história ela quis. 11 anos atrás.

Ele ainda tinha muitas dúvidas. Novato e ainda se ajustando, tudo era novo e diferente. Ela, por outro lado, já reinava. Líder, capitã da equipe e até garota da tocha. Hoje não parece muita coisa. Mas na época era o ápice que a hierarquia escolar permitia. Nasceu estrela e de DNA global.

Mas se os opostos se atraem os diferentes se completam e de esquina em esquina, 43 dias depois, eles deram o próximo passo. O que começou escondido ganhou alvará, com direito a almoço com o sogro, recados nas paredes e mãos dadas no recreio.

O tempo foi passando. E se faltava maturidade, sobrava vontade de descobrir o que era aquilo que nascia a partir do carinho e respeito mútuos. Uma troca generosa, em que ele ensinava a ela como tirar o melhor do mundo e onde ela ensinava a ele em como tirar o melhor de si mesmo. Uma troca que ele nunca poderá esquecer, pois tem certeza que jamais seria metade do homem que é se não fosse por ela.

O namoro de escola amadureceu com o passar dos anos. Juntos, descobriam todas as maravilhas de um amor infantil. Da inocência, da necessidade de paciência e do desatino da aparência. Superaram a instabilidade dos hormônios da adolescência. Não sem dificuldade. Brigas aconteceram e até um término. Que não durou mais do que 48 horas, já que a distância era a maior das penitências para quem desde os 14 anos se acostumou com a delícia de se ter com quem compartilhar.

Cresceram juntos, erraram e acertaram juntos e se encontraram juntos. Onde, em algum momento, faltou compreensão, transbordou amor, esse sentimento indefinido, verbo, substantivo e adjetivo que jamais existiria em primeira pessoa. Juntos (sempre), descobriram a força do “nós”. De como ele faz bem pra mente e do tanto que isso acalma a alma.

E hoje, assim como todos os dias em que completam aniversário de namoro, ele comemora também o nascimento de uma pessoa melhor que ela ensinou a ele como ser. Ela sempre foi sua fonte de razão, sua maior paixão e a grande inspiração e por isso, nesse dia ele não espera presente, pois não pode existir nada mais valioso do que ela deu a ele 11 anos atrás. A chance de ser dois, que sempre será mais do que um. Afinal, como alguém muito inteligente disse a ele uma vez, amar é ter poder. E ele se sente a pessoa mais poderosa do mundo por ser capaz de ter a ela para amar, de todas as formas que uma mulher como ela possa merecer.

 

UPDATE:

Amor,

Desculpe atrapalhar esse post maravilhoso, mas não podia deixar de vir aqui agradecer a ternura e carinho das suas doces palavras. Ter lido a nossa história contada dessa forma tão especial me fez voltar no tempo e ter ainda mais certeza do quanto sou abençoada por ter um companheiro e amigo tão maravilhoso como você. Nunca pensei que algum dia eu seria capaz de amar alguém do jeito que eu te amo, o que sinto só cresce a cada dia e mal posso esperar para passar o resto da minha vida ao seu lado. Que venham os próximos 11, 22, 33, 44… anos! Amo muito você.

Roupa suja se lava em casa e ponto

roupasuja1

Alguém certa vez disse: “nem tudo são flores.” Não sei dizer precisamente sobre o que o anônimo autor se referia, mas é possível afirmar que o relacionamento seria certamente uma das alternativas mais prováveis. Afinal, em qualquer união de seres diferentes, ter um ou outro desentendimento é algo bastante natural. E se os momentos de alegria e prazer ajudam a apertar o laço de afinidade que fortalece a relação, é de fato a superação de brigas e momentos de crise que definirá o futuro do romance, seja como um relacionamento duradouro ou um flerte passageiro.

Mas se os conflitos são inevitáveis, e serão ao longo da convivência, a forma de tratá-los deve ser a mais harmoniosa e respeitável possível, sendo sempre (SEMPRE!) resolvidos na intimidade do casal. Ta certo que todo mundo tem um melhor amigo com quem gosta de conversar e pedir conselhos. Faz parte. Há de se ter cuidado com a opinião dessa pessoa que está de fora da relação, mas em geral e com bom senso não tem problema. O que na verdade é um problemão é a mania que alguns casais têm de dar “shows pitiáticos” em público, na frente de amigos ou estranhos. Sinceramente, poucas coisas na vida são mais feias do que isso.

 

roupasuja3

 

Por isso, se você não escolhe hora ou lugar para armar o seu barraco (que dó de seus amigos), listamos três motivos simples para que reflita sobre o porque de não brigar em público.

 

1) Lugar de lavar roupa suja é em casa e ponto final. Ditado da vovó e tão autoexplicativo que não carece de definição. Mas se pareceu complexo, eu explico. Se você gosta de chamar a atenção dos outros de qualquer forma, se inscreva em um reality show, mande um carro de mensagens para si mesmo ou use a velha e boa melancia, mas não inclua ninguém dentro dessa. Faça um favor aos dois e não se exponham ao ridículo. Além do conflito criado com a (o) parceira (o), ainda ficará taxado como o barraqueiro desequilibrado por quem presenciou a cena. Problema dobrado.

2) Ninguém tem culpa da sua vida ruim. Não constranja seus amigos. Desculpe, mas não há forma bonitinha de dizer isso. Se você acha legal bancar o valente na frente de todo mundo, saiba que ninguém que assiste a isso acha bonito. Pelo contrário, ficam todos constrangidos, querendo dar o fora e sem saber como agir, evitando “meter a colher”, mas profundamente incomodado. Seus amigos não merecem isso. Poupe-os desse papelão.

3) Pense antes de falar. Evitar uma discussão imediata pode ser uma boa forma de você ganhar tempo para refletir a respeito do ocorrido e conseguir ponderar melhor sobre o problema antes da discussão. Agir por impulso pode agravar muito uma situação que não deveria ser para tanto. Lembre-se, uma palavra falada é como uma flecha lançada. Não volta atrás.

 

Leia também: Homens e a síndrome da roupa curta

Por essas e outras use todos os milhões de neurônios que Deus e a Teoria da Evolução lhe deram e tenha maturidade para administrar um conflito e esperar para estarem sozinhos antes da briga inevitável. Pode ser que até lá, o ímpeto do conflito arrefeça e afinal, nem seja mais essa crise toda.

 

P.S.: Se você é o detentor dos créditos de alguma das imagens utilizadas nesse post, entre em contato. Teremos o maior prazer em creditá-las à você.

 

O relacionamento ao lado é sempre mais verdinho?

grama

Há certas coisas que são comprovadamente da natureza humana: reclamar da segunda, cantar no chuveiro, evitar as balizas e principalmente, comparar o seu relacionamento com namoro “perfeito” do casal conhecido. Confesse. Você pode nunca ter mencionado a ninguém, mas no seu âmago mais profundo já passou pelo menos aquele filete de inquietação do tipo: por que meu namorado não é tão carinhoso quanto fulano? Por que minha namorada não interage com meus amigos quanto a namorada do ciclano? Como eu gostaria de ter a mesma liberdade que o casal de beltrano.

Sabe o antiquíssimo ditado que diz que o jardim do vizinho é sempre mais verdinho? É isso, salpicado de dúvida, insegurança e a tendência eterna de não valorizar aquilo que se tem. Talvez essa história tenha começado com Eva, que entediada de comer o sempre honesto e saudável arroz com feijão de Adão, resolveu morder logo o fruto proibido na esperança de provar alguma coisinha diferente fora dos muros de trepadeira do Éden.

E tal como a história antiga nos mostra, essa pode nem sempre ser uma boa ideia. A proposta de um relacionamento perfeito é, naturalmente, muito atraente. E por mais que pareça algo incomum, é uma história contada a nós todo santo dia, seja no cinema, na publicidade, nas revistas ou novelas. Alguém é capaz de imaginar Jolie arrotando na mesa de jantar com Brad e suas 47 crianças? Ou o Príncipe William esquecendo o aniversário de seu casamento com a Kate? Eu não, afinal eles parecem tão limpinhos e perfeitos que se não os considerassem produtos de comercialização da mídia, seria capaz de jurar que eram então androides vindos de uma civilização superior.

anglbrad

Esse relacionamento perfeito, pelo menos como nos é mostrado todos os dias, acredite, não existe. Sabe por quê? Por um motivo simplicíssimo: o ser humano não é perfeito. Individualmente já temos nossos 7, 8 ou 9 pecados capitais. Somos invejosos, ciumentos, orgulhosos. Imagine então juntar dois desses seres? O resultado é uma equação de desequilíbrio constante, onde sempre precisaremos retocar aqui e apertar ali. Faz parte. Somos nós em estado bruto.

Isso não quer dizer que sejamos piores do que alguém. Não. É normal. Não quer dizer também que jamais seremos felizes com outra pessoa, pelo contrário. Encontrar a felicidade e o prazer da vida a dois a partir de todos esses desencontros é o que faz de uma relação verdadeiramente especial. É o que motiva a continuar compartilhando, dividindo e distribuindo, mesmo quando o nosso instinto natural seria se fechar em uma redoma e consumir todo o nosso prazer sozinho. São essas as pequenas vitórias que vencemos contra nós mesmos que nos fazem nos apaixonar a cada dia pelo outro.

Por isso, não pense que o jardim do vizinho está mais bonito do que o seu. E se parecer mais atraente, pode ser porque eles acabaram de passar por uma poda violenta, eliminando as pragas e cortando as mudas podres para poder se reerguer, mais lindo e saudável do que antes, mas sempre vulnerável a novas doenças. Além disso, o jardim do outro será sempre o jardim do outro. Você não conseguirá entrar até lá para entender como de fato é a relação entre eles, que pode ser totalmente diferente daquilo que você imagina. Portanto, ao invés de se comparar com o namoro da amiga que parece um conto de fadas, procure encontrar a beleza dentro do seu próprio relacionamento. É como um autor desconhecido certa vez disse: “Se a grama do vizinho parece mais verde, talvez você esteja olhando demais para a dele e esquecendo de regar a sua”.

 

 

 

Vídeo | Sair sozinho mesmo namorando | Sim ou não?

Saiu vídeo novinho no canal do blog no YouTube. E o tema de hoje é sobre a dificuldade que alguns casais têm em lidar com os passeios do namorado ou da namorada desacompanhado, ou acompanhado apenas dos amigos. Seja um bar com os camaradas ou cinema com azamigas, esse é (infelizmente) um assunto que sempre gera discussão e que o “limite” é individual e peculiar, por isso, como lidar da melhor forma com o “problema”? Assista o vídeo e nos dê sua opinião. E ah, se curtir, dê um joinha no YouTube e se inscreva em nosso canal. Você verá os vídeos antes de vir para o blog e ainda nos ajudará.

 

Quem quiser assistir em HD, basta clicar em Detalhes > Qualidade > 1080p HD.

Beijos e esperamos você por lá.

Homens e a Síndrome da Roupa Curta

curto

Confesso. Já briguei com a Lu por causa de alguma roupa decotada demais ou que a meu ver, escondia de menos. Não é algo que me orgulhe, é verdade, mas que jogue a primeira pedra aquele que nunca passou por esse papelão. Não chegou a ser uma briga com B maiúsculo, foi mais um reflexo da minha inexperiência. Éramos muito jovens e nosso namoro ainda passava pelos primeiros anos. Hoje, porém, tenho ciência que a discussão de outrora, apesar de boba, foi importante, pois levou até nós um papo que ainda não tinha entrado em discussão, e dessa forma pudemos resolver ali, de uma vez por todas, um problema que ainda aflige muitos casais em épocas mais adultas de suas vidas.

 

curta

E para evitar que a SDRC (Síndrome da Roupa Curta) se espalhe, vamos apresentar abaixo algumas causas, sintomas e formas de tratar a doença. Se você possui um namorado nessa situação (meu Deus!) compartilhe a notícia, pois é caso de utilidade pública.

 

MACHISMO: o nada bom e velho senso de autoridade que alguns homens ainda insistem em achar que possuem sobre suas companheiras.
Sintoma: ondas sufocantes de calor em ver SUA PROPRIEDADE desfilando tamanha gostosura para outros indivíduos da espécie, transformadas em irritabilidade aguda e que com o passar dos anos pode provocar uma leve dor nas regiões extremas da testa, também conhecido como dor de corno.
Tratamento: 8 horas de meditação por dia repetindo o mantra “ninguém é de ninguém, ninguém é de ninguém, ninguém é de ninguém…”. Se após um mês inteiro você ainda achar que sua namorada é obrigada a se submeter a sua avaliação diária para decidir como agradar vossa majestade, o tratamento evolui para camisa de força e reclusão total, porque, né, ninguém aqui é sua nega e não somos obrigados.

 

 Leia também: Morar juntos antes do casamento: sim ou não?

 

INSEGURANÇA: na maioria das vezes a causa do machismo que busca na estupidez uma forma de disfarçar o medo que possui de ser menos do que a mulher espera.
Sintoma: se apresenta com pontadas firmes de ciúmes em sair com uma mulher maravilhosa demais e que pode despertar o desejo de outros homens, fazendo com que sua gata vire os olhos para um cara ~melhor~ do que você.
Tratamento: meu amigo, se você tem uma mulher linda ao seu lado e que lhe dá orgulho em apresentá-la aos amigos, use isso a seu favor e não contra. Desfile mexxxmo com ela, dê beijos em público e aproveite a delícia de ter uma mulher admirada. Acostume-se, ela sempre será desejada por outros. Mas pense, dentre todos os outros tarados ao seu redor ela escolheu você, e a menos que você a mantenha em cativeiro ou presa por um cadeado, você deve se orgulhar disso. Por fim, acredite, é muito melhor ter uma mulher elogiada do que criticada.

 

BOM SENSO (OU A FALTA DELE ): mal que atinge tanto homens quanto mulheres que por algum déficit intelectual acha que o mundo gira apenas ao seu redor, esquecendo-se que em um relacionamento tudo deve ser medido, flexibilizado e contemporizado.
Sintoma: no homem costuma se refletir em uma úlcera nervosa causada por não respeitar a individualidade da parceira, que já possuía seus hábitos de se vestir e uma imagem social estabelecida antes de começar a namorar. Já na mulher provoca um aumento incorrigível e insustentável de arrogância por ignorar totalmente as predileções do parceiro, considerando-se a rainha absoluta do universo e dona do relacionamento.
Tratamento: convenhamos, assim como há homens totalmente desequilibrados, também existem mulheres que não possuem nenhum senso crítico na hora de escolher o vestuário do dia. Mais do que sair “pelada de casa”, há um exibicionismo desnecessário (alimentado pelos instagrams da vida) que até constrange quem passa perto. Para você que pulou a lição que ensina que a sedução está no que se esconde e não no que se revela, tome gotas diárias de autoestima, dessa forma não precisará de cantadas grosseiras na rua para se sentir gostosa. Aos homens, um chazinho diário de inteligência para entender e respeitar a maneira de se vestir de sua companheira e aceitar que por qualquer que seja sua roupa, no fim, será sempre você o único a tirá-la, deve ser o suficiente para evitar os males da SDRC. Se não adiantar, por favor, volte ao tratamento do item 1 dessa receita.

 

P.S.: Se você é o detentor dos créditos de alguma das imagens utilizadas nesse post, entre em contato. Teremos o maior prazer em creditá-las à você.

 

Estilo a dois | Versão 2015

Oi gente!

O Estilo a dois finalmente voltou de férias. \o/ Estávamos precisando desse tempinho longe da Internet para dar uma descansada e refletir sobre novas formas de continuar melhorando o blog. Para isso, pensamos em algumas ações que poderão facilitar a nossa comunicação com vocês que sempre nos dão tanta atenção, e entre elas, está essa aí debaixo. É só a apresentação, mas já é o primeiro de muitos vídeos que virão do nosso canal no YouTube.

Esperamos que gostem. Estávamos com saudade de voltar a postar.

E ah, para ver em HD basta alterar no cantinho direito do vídeo: detalhes > qualidade > HD.

 

Beijos