#FICAADICA BH | 68 La Pizzeria

Quer um lugar legal para sair em casal ou curtir com a família? A 68 La Pizzeria é uma boa dica! No coração do bairro de Lourdes, a 68 possui uma decoração elegante, moderna e diferenciada. O espaço possui pequenos lounges, um salão principal, outros menores, uma adega e um lindo espaço aberto nos fundos, que pode ser fechado para festas particulares. O atendimento é bom e as opções do cardápio que honram a verdadeira pizza de Nápoles são de dar água na boca.

Escolhemos um dos sabores de pizzas mais famosos da casa: La Premiata: Muçarela especial, queijo parmesão, champignon trifolati, brie, presunto de Parma e basílico. E olha, que boa escolha, viu?!  É divina! Massa crocante, recheio delicioso.

Não é um lugar dos mais baratos, mas não achamos nada absurdo. A casa possui ainda várias cervejas artesanais, vinhos dos mais variados tipos e sobremesas divinas. Com certeza valeu a pena a visita.

RUA FELIPE SANTOS 68   .   LOURDES  T:  31 3291-7466  BH.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Relato de viagem | Lisboa

No final do ano passado tivemos a oportunidade de conhecer dois lindos lugares que já estavam em nosso roteiro faz tempo: Lisboa e Barcelona. E pra não deixar passar batido, vamos dividir em dois posts o que nós achamos das duas cidades. Não é nossa pretensão falar aqui sobre os pontos ou dicas de cada uma, já que isso você acharia facilmente em blogs e veículos especializados em viagens, e cujos quais usamos bastante. Mas apenas um relato do que foram Lisboa e Barcelona na visão DELA e na visão DELE. Já adianto: 1) a cidade preferida de cada um foi diferente. 2) Está planejando uma viagem à Europa? Não pule Lisboa. Seria um grande pecado. Venha ler porquê.

 

Lisboa por ela

A primeira impressão foi um UAU! Tudo nessa cidade é grande, tem história, detalhes cuidadosos e preparada para o turista.

A facilidade do idioma de cara já deixa tudo mais familiar. A comida é próxima do que gostamos então foi delicioso experimentar sempre que podíamos um prato novo de bacalhau, doces típicos feitos de nata, vinhos portugueses excelentes… Ah os vinhos! Estes foram um capítulo à parte da viagem, pois queríamos trazer tantos, mas tantos para casa que tivemos problemas com o excesso de bagagem.

Utilizamos muito os meios de transporte público como ônibus, trens e metrôs subterrâneos. É muito fácil entender como funciona o eficiente e onipresente sistema de metrô, com ele era possível chegar em praticamente todos os principais pontos turísticos da cidade em pouco tempo e gastando muito pouco.

Conhecemos os principais pontos turísticos da cidade como o Mosteiro dos Jerônimos, os famosos Pastéis de Belém, Castelo de São Jorge, a Praça do Comércio, o lindo Oceanário de Lisboa, além de fazer dois bate-volta incríveis para Sintra e Óbidos.

Lisboa, assim como suas localidades próximas, é uma cidade limpa, organizada, barata e maravilhosa com suas belas ladeiras cheias de histórias.

 

Lisboa por ele

Quando planejamos a viagem o meu foco principal era conhecer Barcelona. Linda, cosmopolita e pulsante, a cidade espanhola sempre esteve em meus sonhos. Mas ao chegar a Lisboa percebi a injustiça de não ter sonhado com a capital portuguesa também. Absolutamente surpreendente, com suas ruelas estreitas em calçamento, subidas e descidas com uma vista mais linda do que a outra, bondinhos, tuk-tuks e restaurantes com apenas 5 ou 6 mesas extremamente aconchegantes. Lisboa é, diferente de outras metrópoles globais, intimista e encantadora e de longe a cidade mais charmosa que já conheci.

Há ainda o contraste entre a atmosfera sedutora pelos detalhes e a grandiosidade de obras que refletem a nobreza de uma nação que foi centro do mundo por quase dois séculos, no qual seus castelos, palácios e monumentos enfeitam diferentes cantos da cidade e das zonas vizinhas. É possível perceber a nobreza e a elegância de uma forte senhora, que já desfrutou dos maiores sucessos em seus tempos de glória. Lisboa é ainda um museu a céu aberto, repleta de história e de nossa história, e que nos faz sentir, ao final, também um pouco lisboeta.

Em breve um novo relato sobre nossas impressões de Barça!

DESTINO DE FÉRIAS | Ilha Grande

Venho por meio dessa avisar que é oficial: as férias finalmente chegaram! \o/ Depois de mais um semestre daqueles (graças a Deus), é hora de dar uma pausa, relaxar e se preparar para a segunda parte de 2015. E para aproveitar da melhor maneira possível estamos fazendo as malas para um destino que já há algum tempo estávamos doidos pra conhecer: Ilha Grande, no Rio de Janeiro.

roteiro ilha grande

Ilha grande faz parte de Angra dos Reis, costa oeste do Rio de Janeiro. Como o nome já diz, a ilha é realmente enorme, com dezenas de praias e algumas acessadas apenas por trilhas na mata. A curiosidade de lá é que, diferentemente de Ilha Bela (onde fomos e também é lindo) não se pode entrar de carro, tudo por lá é ou a pé ou de barcos/lanchas. Talvez por isso o local seja tão bem preservado, com inúmeras belezas naturais, animais silvestres e águas cristalinas.

ilha grande

É verdade que o start dessa viagem foi dado meio de uma hora pra outra, quando vimos coincidentemente uma matéria no Globo.com falando que a praia de Lopes Mendes, uma das maravilhas da ilha, estava entre as 10 praias mais bonitas do mundo. Com uma fachada dessa, não deu pra resistir. Compramos passagens, reservamos pousada e lá vamos nós.

Mas como todo mundo sabe, a parte boa da viagem começa muito mesmo antes do embarque. O planejamento de onde ficar, o quê visitar, como comer, vestir e se divertir é uma das partes mais legais do roteiro. Por isso, fizemos um guiazinho rápido sobre a ilha e que pretendemos estudar até a próxima semana, que é a data da viagem.

Estamos contando as horas. Em todo o caso, se você tiver ainda alguma dica, sugestão ou informação que acha interessante, compartilhe com a gente. É sempre o máximo saber de pessoas que já conhecem o destino. Na volta, com certeza, vamos ter um post com nossa opinião sobre a ilha e esperamos poder contar muitas coisas boas de lá.

we

 

See you!

Jurassic World | A espera valeu a pena

JW

Aviso: não contém spoilers, mas se você espera uma análise crítica e cerebral sobre o novo sucesso hollywoodiano Jurassic World, por favor, interrompa a leitura e acesse um site cinéfilo-cult qualquer.

Desde que assumiram a gravação do novo parque dos dinossauros, 22 anos depois do último grande filme do gênero (já que O Mundo Perdido – Jurassic Park (1997) e Jurassic Park 3 (2001) não foram realmente aquela Brastemp), estava contando as horas para correr logo para bilheteria e comprar o meu ingresso. Demorou, mas depois de ler um milhão de matérias sobres os bastidores e até baixar o jogo promocional do filme, eis que no último dia 11, finalmente, a película iniciou nos cinemas do planeta. Não pude ir na estreia da quinta, mas no sábado eu e Lulu estávamos lá, firmes e fortes, mendigando por poltronas numa sala absolutamente abarrotada para conferir de pertinho o novo filme da série.

jurassic-world-poster-600x369

Com mais de duas décadas depois do icônico Jurassic Park a tecnologia roubou a cena e se apresentou ao longo de todos os 125 minutos do filme, seja na estrutura invejável do parque (que já está em pleno funcionamento e possui atrações de todos os tipos), com hologramas, veículos bolhas e salas de controle ou na computação gráfica que eleva o realismo das criaturas a outro patamar. Ta certo que até os dinos do Jurassic de 93 já eram fantásticos, mas o nível de detalhamento de Jurassic World é impressionante. Aliás, a continuação (que não é tãaao continuação assim) traz referências ao primeiro filme da franquia o tempo todo, desde a trilha sonora espetacular, até a camisa do funcionário apaixonado Lowery ou dos jeeps marcantes encontrados pelo caminho. Os próprios personagens lembram a construção do primogênito da série, com a dupla de irmãos perdidos, o bilionário excêntrico querendo brincar de Deus, o protagonista rústico que leva jeito com os animais. Tudo lembra o clássico, até a cena final que tira do ostracismo o velho dono do pedaço de 93, mostrando que quem é rei nunca perde a majestade.

jurassic-world-super-bowl-trailer-1

Com ação sem rodeios do início ao fim, Jurassic Word não comete o erro clássico de filmes que prometem muito, mas acabam por esconder o jogo. Nele, há overdose de dinossauros e a protagonista Indominus Rex (um híbrido/inteligente/máquina de matar/lindo de se ver) aparece de corpo inteiro em centenas de cenas. Bom para os fãs que recebem aquilo que foram buscar. Detalhe também para os protagonistas humanos da história, Chris Pratt, do mega elogiado Guardiões da Galáxia e vive Owen, um instrutor que faz um ótimo trabalho treinando os Velociraptors (novamente vedetes do filme) e a boneca Bryce Dallas Howard que vive a Claire e parece propositalmente artificial, como mais uma criação perfeita da fábrica de sonhos da genética. Vicent D’Onofrio (o Wilson Fisk do Demolidor que está tão diferente de cabelo e barba que se a Lu não fala eu nem perceberia) é o vilão da parada.

Não vou resumir a história para não atrapalhar a experiência de quem ainda não viu o filme, mas posso falar que Jurassic World não frustrou em nada esse velho fã aqui. Aliás, pelo contrário. Como diz em Hogwarts, a película “excede expectativas” e contrariando algumas críticas a verdade é que eu e a Lu adoramos. Só espero que os recordes quebrados com a bilheteria monstra desse primeiro fim de semana de exposição garanta uma continuação do mesmo nível para a franquia. E que não tenhamos que esperar mais 20 anos por isso.

CULTURA | O poder do Netflix e suas séries irresistíveis

Quem nunca ficou diante da TV por horas, vendo vários episódios seguidos de alguma série intrigante que jogue a primeira pedra! Esse é um dos nossos momentos a dois favoritos e acompanhamos tantos seriados ao mesmo tempo que às vezes perdemos a conta de em qual episódio na verdade estamos. Inclusive, descobrir onde paramos é um exercício de dar play, assistir um pedaço, mudar o episódio, adiantar uma casa, enfim. Mas nos encontramos na nossa bagunça.

O Netflix muito espertinho e percebendo esse maravilhoso nicho no mercado, decidiu então parar de apenas transmitir série dos outros para lançar suas próprias produções com praticamente uma nova temporada de algum título a cada dois meses. E agora, José?

Com tanta novidade assim, fica até difícil escolher o que assistir. Por isso, selecionamos algumas das produções de 2015 para você pegar a sua pipoca e se perder no sofá nos próximos meses. (Ainda não vimos todas, mas certamente estão em nossa listinha.)

 

between

Between – 21 de maio
Todos os habitantes acima de 21 anos de uma cidade são mortos por uma misteriosa epidemia. Quando o governo federal declara o isolamento e quarentena do entorno da cidade, as crianças e adolescentes ficam à deriva e precisam encontrar soluções num vácuo de autoridade e normalidade.

 

 

wehot

Wet Hot American Summer: First Day of Camp- 17 de julho
Revisite o famoso verão de 1981 nesta hilária série que volta no tempo para mostrar as origens cult do clássico filme Wet Hot American Summer. Tudo começa no primeiro dia do acampamento: rivalidades e segredos vêm à tona, corações se partem e hormônios surtam.

 

 

grace

Grace e Frankie – 8 de maio
Jane Fonda e Lily Tomlin juntam-se numa série original Netflix como a elegante e aristocrática Grace e a despachada e excêntrica Frankie. Seus maridos (Martin Sheen e Sam Waterston) são sócios há décadas, mas elas nunca foram amigas. Quando seus respectivos decidem juntar os trapinhos, as agora ex-mulheres decidem que é hora de se unir. Do jeito delas.

 

 

orange

Orange Is The New Black – 12 de junho
Uma de nossas preferidas! Ainda bem que está voltando. A resenha rasteira da série é bem simples. Um crime cometido na juventude bate à porta, e Piper Chapman troca a vida de Nova York pela penitenciária, onde ela encontra amizades e conflito dentre um grupo de detentas desbocadas. #EstamosAnsiosos 

 

 

narcos

Narcos – em 2015
A história real do tráfico na Colômbia inspira esta nova série original Netflix. A ascensão do cartel de Medellín, chefiado por Pablo Escobar, é o estopim de uma guerra entre as forças colombianas, a CIA e um inimigo disposto a tudo para manter seu império comercial. O cartel se multiplica e a violência ameaça gente dos dois lados. Nesta saga contemporânea de uma realidade não tão longe, todos correm perigo. Wagner Moura será o protagonista e a direção de José Padilha. Essa tem a cara do Patrick.

 

 

sense8

Sense8 – 5 de junho
Um disparo. Uma morte. Um instante no tempo em que seis mentes em seis continentes são interligadas para sempre. Seis pessoas vivem suas vidas, segredos e ameaças como uma. São pessoas comuns, renascidas com um mesmo inimigo e destino. Misteriosa! Parece interessante.

 

 

Já pegou a pipoca?

Demolidor | Finalmente uma série à altura do herói 

screen-shot-2015-02-26-at-1-08-45-pm

A coisa boa em terminar os episódios de uma série querida (se é que existe algo bom nisso) é a possibilidade que se abre com um tempo livre para assistir novas e imprevisíveis histórias. Colocar em dia aquele seriado que está todo mundo comentando e só você ainda não viu ou arriscar uma nova trama escondida nas profundezas de um serviço de streaming qualquer. Pois então, foi motivado pelo término simultâneo de The Walking Dead, House of Card e a nunca volta de Orange is the New Black que começamos a assistir o mais novo fenômeno da Netflix, a história do homem sem medo, Demolidor.

Com uma temporada inteira disponível na net foi irresistível não assistir tudo de uma vez. Aliás, essa talvez tenha sido a temporada que assistimos em menos tempo seus 13 episódios, considerando todas as dezenas de séries que já vimos. A história é muito envolvente e graças a Deus, não foi necessário assistir em conta gotas, como a HBO faz com a gente em Game of Thrones, dando punhaladas semanais de 50 minutos que mais parecem 5.

A trama conta a história do super herói Marvel Matt Murdock, um jovem que quando criança perde a visão em um acidente com produtos químicos. Os mesmo produtos que causam a perda da visão em Matt, fazem com que seus outros sentidos sejam mega apurados. São esses super sentidos de audição, olfato e tato, mais uma incrível sede de justiça influenciada pela sua infância conturbada que criam o alter ego que dá corpo ao Diabo de Hell’s kitchen (uma espécie de Gotham City do herói), conhecido como Demolidor.

Daredevil_size_1000
Pra quem já conhece a história dos quadrinhos é um prazer reencontrar velhos personagens como o mestre do crime, Wilson Fisk. Com certeza, essa é uma das melhores adaptações de HQ’s, infinitamente superior ao Demolidor dos cinemas estrelado pelo mais ou menos Ben Affleck (Deus queira que ele surpreenda na pele do homem morcego). Aliás, Charlie Cox, ator que da vida ao protagonista da série faz o papel de forma muito cativante. Destaque também para o claramente conturbado sociopata Vincent D’Onofrio (Fisk) e a bela Deborah Ann Woll, intérprete de Karen Page.

Com um clima intenso, uma atmosfera sombria e vários pontos de tensão, Demolidor se confirma como uma bela dobradinha da Netflix  com a Marvel que tem aprendido com primor a valorizar seus heróis menos populares. O sucesso merecedor da série fez com que ambas as empresas já confirmassem uma segunda temporada para o ano que vem. A nós, só resta esperar ansiosamente, como sempre fazemos, buscando novas tramas. E já que estamos no clima de super-heróis, acho que vamos dar uma chance para Arrow e The Flash. Vai ser difícil ser tão bom quanto Daredevil, mas quem sabe? Essa é a delícia da coisa.

MODA FEMININA | Chapéus!

chapeus

Um dos acessórios mais desejados das últimas temporadas, o chapéu vem ganhando cada vez mais destaque e importância no armário das fashionistas. Por causa da sua versatilidade, ele pode ser usado em diversos tipos de produções – das mais simples às mais sofisticadas. Seja com calça, vestido, shorts ou saias, ele consegue transformar muito a produção de uma maneira simples e prática. Por isso, hoje vou mostrar um pouco como ele é usado e apresentar alguns modelinhos mais utilizados para nós meninas.

 

chapeus1

 

 

Como usar? É preciso segurar o look. Veja alguns exemplos para inspirar a produção!

 

chapeus2

 

chapeus3

 

chapeus4

 

chapeus5

Os modelos de chapéu são diversos e você pode optar por aquele que mais combina com você! Desta forma, você consegue aproveitar essa moda sem perder a sua personalidade!

Eu tenho do modelo panamá, uma boina e 2 floppys (preto e marrom) e amo todos!

chapeus6

 

P.S.: Se você é o detentor dos créditos de alguma das imagens utilizadas nesse post, entre em contato. Teremos o maior prazer em creditá-las à você.

#FICAADICABH | Pátio Cervejeiro da Backer

ficaadica

 

 

 

 

templo1

Vocês devem ter visto que no último dia 20 foi nosso aniversário de 11 anos de namoro oown ❤️❤️ e, como sempre, mereceu uma comemoração especial. Na verdade, temos um combinado que cada ano é um da dupla a escolher a comemoração, sendo ano par o Patrick e ímpar o meu. Como era minha vez, escolhi de surpresa, pensando nele que ama conhecer todos os tipos de cervejas, o restaurante Templo Cervejeiro da Backer.

Inaugurado há pouco tempo, depois de uma reforma de R$ 6 milhões de reais 😱😱, o lugar tem chamado muita atenção por aqui e não é pra menos. Ele é simplesmente uma cervejaria ao lado de um belíssimo restaurante. Eles também oferecem uma visitação à fábrica – Maternidade Cervejeira, contando a história em um projetor e degustação de várias cervejas, além de um diploma no final (mais ou menos como a Baden Baden faz em sua fábrica em Campos do Jordão). O passeio à parte que não fizemos, (seria melhor durante o dia) custa em média R$ 45,00.

templo2

O restaurante é muito diferenciado. O projeto de design ficou encantador. Posso dizer que foi um dos restaurantes mais bonito que já fui em BH. Infelizmente as fotos não fazem jus ao lugar. Logo na entrada vimos uma fonte e um tapete vermelho estendido. Você tem a opção de ficar nas charmosas varandinhas (onde venta um bocado), mas escolhemos ficar na parte de dentro. Que bom gosto na decoração, fiquei encantada! A música ambiente muito agradável e a iluminação de LED muito original.

Para começar o Patrick escolheu uma régua de cervejas diferentes, ao todo 5 tipos de cervejas artesanais de vários tipos. São copinhos de shot, mas que dá para ter uma boa ideia dos sabores (R$ 12). Para petiscar, pedimos uma porçãozinha de linguiças um pouco apimentadas, com batatas e molhos especiais. Achei um pouco caro para o que foi entregue (R$ 42). Mais tarde pedimos filé ao molho de gorgonzola, acompanhado de deliciosos tipos de pães. Estava muito gostoso e é uma porção bem servida para duas pessoas (R$ 59) (não sei se foi porque já não estávamos com aqueeeela fome). Tomei um suco delicioso de morango em uma garrafinha que deu vontade de trazer pra casa (R$9) e Patrick algumas Backers 600 ml. (R$ 16,00)

templo3

Não pense que é um lugar barato, vi pratos individuais de R$70 reais, mas tem coisas mais em conta também, depende do quanto está disposto a pagar. Achei o preço das bebidas razoável. O lugar compensa cada centavo investido porque simplesmente é uma experiência diferenciada em BH. Para se ter uma ideia, tem até serviço de vigias de carro gratuito!! (sem flanelinha extorsivo😍).

Futuramente queremos voltar para uma visita à fábrica que deve ser incrível.

templo4

 

yukai5

 

 

 

Rua Santa Rita, 220 – Olhos D’Água (Saída para o Rio)

Telefone: 3228-8888

Horário de Funcionamento: Almoço de segunda a domingo, de 11:30h até 15h. Para jantar e happy-hour, das 18h até a 1h.

Cultura | Better Call Saul

better1

Para qualquer amante de séries que se preze todo começo de ano é uma tristeza danada. Como quase todos os grandes sucessos param as filmagens ou encerram suas temporadas no fim do segundo semestre, esse costuma ser o período em que você se pega assistindo até ao Caldeirão do Hulk ou BBB por falta de opção melhor na TV. Ainda bem que já passamos pelo pior e alguns de nossos queridões, como The Walking Dead, Homeland, House of Cards (no meu caso) e The Vampires Diaries (no caso da Lu) já estão de volta. Outros como GoT e Orange is The New Black ainda não voltaram, mas graças a Deus nem só de recomeços nós vivemos. Por isso, hoje vou falar de uma série que estreou em 2015 e já com toda a pompa do mundo conquistou um lugar em nossa prateleira: Better Call Saul.

Derivada do sucesso estrondoso de Breaking Bad (ou A Química do Mal para a Record rs), Better Call Saul conta como Jimmy McGill, um advogado fracassado e de casos medíocres se transformará em Saul Goodman, homem capaz de manter até grandes criminosos “dentro da lei” e um dos maiores parceiros de Walter White. A trama, aliás, se passa 6 anos antes dos dois protagonistas se conhecerem e traz muitas referências de sua irmã mais velha, como alguns personagens que aparecerão logo de cara.

Dirigido pelo talento raro de Vince Gilligan (também diretor de BB), Better Call mantém os ótimos planos e enquadramentos que já fazem sucesso, além de uma narrativa parecida com Breaking Bad, de começo arrastado, mas que vai esquentando ao longo dos episódios. O início do primeiro episódio, aliás, traz um flash ahead mostrando a nova vida de Saul logo após seu final em BB.

better

Mas se as referências existem (e são muitas) Bob Odenkirk tem tudo pra ser o ponto de diferenciação entre as duas séries. Com suas caras, bocas e tiradas engraçadíssimas o personagem tem talento pra viver seu próprio caminho sem ficar à sombra do sucesso de Mr. White. Isso porque o ator é muuuito bom. E o personagem, com suas fragilidades e inconsistências, mas mesmo assim muita determinação tem uma capacidade enorme de gerar um carisma imediato.

Com poucos episódios lançados pela AMC e distribuído no Brasil pelo Netflix, ainda é cedo para dizer se Better Call Saul poderá se tornar tão grande quanto sua irmã. Mas certo é que seu começo promissor e cheio de expectativas já garantiu a ela um lugarzinho entre nossas sequências preferidas.

P.S. E Vince, dê o seu jeito de colocar logo o Sr White e o Pinkman nessa história, mesmo que só um minutinho. Todo mundo tá louco pra ver, ora!

 

 

 

#ficaadicaBH | Viva o carnaval

farm-carnaval-cigana-e-baiana

Quem é de BH sabe que a folia já começou há muito tempo. Já tivemos vários ensaios de bloquinhos lotados, inclusive alguns foram até cancelados devido ao grande número de foliões querendo participar.

Não era tradição, mas de alguns anos para cá a festa foi pegando e ganhando tanta adesão que a cada temporada se torna ainda maior (e melhor).

E para quem vai ficar por aqui ou já quer antecipar a festa, selecionamos alguns locais onde a farra será garantida, com bloquinhos que prometem, além de dicas para se entregar à folia.

5

Dia 08 de fevereiro

BLOCO BUNDEIRANTES
Concentração: a partir das 11h
Praça JK – Av. Bandeirantes – B.Sion

ME BEIJA QUE EU SOU PAGODEIRO
Concentração: a partir das 11h
R. Almirante Tamandaré, 601 – Gutierrez

PERERECA ASSANHADA, ASSANHADA MAS DE FAMÍLIA!! Concentração: a partir das 12h
Praça São Francisco de Assis, 5 – Pampulha

 

Dia 14 de fevereiro

BLOCO DA CALIXTO
Concentração: a partir das 12h
Av. Bernardo Monteiro – esquina com Av. Brasil – Funcionários

DRAGÃO DA VILA SÃO JORGE
Concentração: a partir das 13h
Av. Silva Lobo, 1730 – Grajaú

QUEM NÃO SE COMUNICA, SE TRUMBICA!
Concentração: a partir das 13h
Av. Álvares Cabral, 400 – Lourdes

 

Dia 15 de fevereiro

ORDINÁÁÁÁRIOS
Concentração: a partir das 13h
Av. Pasteur, 10 – Santa Efigênia

BLOCO DO TCHA TCHA TCHA
Concentração: a partir das 15h30
R. Fernandes Tourinho, 317– Savassi

 

Lista Completa aqui!

 

Viva o Carnaval de Bh 2015, evento fechado no Parque das Mangabeiras, que contará com grandes blocos de dentro e fora de Minas Gerais. No dia 1 de fevereiro (domingo – 14h), os blocos Sargento Pimenta (RJ), Carrossel de Emoções (RJ), Baianas Ozadas (MG) e Me Beija Que eu Sou Pagodeiro (MG) levam a folia para o Parque das Mangabeiras (Av. José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras). Já no dia 8 de fevereiro (domingo – 14h), será os blocos Frevo do Mundo (PE), com Otto e BNegão, Pra Iá Iá (RJ), Chama o Síndico (MG) e Bloco da Calixto (MG).

 

Algumas dicas para não perder a #zuera

– Vá com roupas leves e confortáveis (meio óbvio, mas já vi meninas num salto que deu até dó).

– Não esqueça de se hidratar pra ressacar não te pegar.

– Cuidado com celulares e carteiras. Na muvuca os furtos se multiplicam.

– Para as meninas, levem sempre papel higiênico no bolso/bolsa porque os banheiros químicos não tem =( além de serem super nojentos.

– Sapatos fechados tipo tênis e sapatilhas são ótimos, já que o chão fica imundo e o pé fica sujo! Evite as rasteirinhas.

 

E vocês, vão passar aonde?

 

P.S.: Se você é o detentor dos créditos de alguma das imagens utilizadas nesse post, entre em contato. Teremos o maior prazer em creditá-las à você.